quinta-feira, 2 de julho de 2015

Cientistas conseguem reverter o envelhecimento de células humanas

foto: CREATIVE COMMONS
Encontrou umas rugas no rosto? Calma, nem tudo está perdido. Cientistas descobriram a fonte da juventude (brincadeira).
O Professor Jun-Ichi Hayashi, da Universidade de Tsukuba, no Japão descobriu uma forma de retardar o processo de evelhecimento das células humanas. Hayashi regulou a produção de aminoácidos, que é, em parte, responsável por algumas das características de envelhecimento.
A teoria mitocondrial do envelhecimento propõe que o envelhecimento é causado pelos defeitos mitocondriais associados de mutações no DNA. A acumulação destas alterações é associada ao início precoce de características relacionadas com o envelhecimento, tais como perda de cabelo, curvatura da coluna vertebral e osteoporose.
Há, no entanto, várias evidências conflitantes que levantam dúvidas sobre a validade dessa teoria. A equipe de Hayashi tem realizado algumas pesquisas convincentes, que os levou a propor que os defeitos mitocondriais associadas à idade não são controlados pelo acúmulo de mutações no DNA, mas por outra forma de regulação genética.
A pesquisa analisou a função das mitocôndrias em linhas de células humanas de jovens (com idade variando de um feto de 12 anos de idade) e idosos (com idade variando de 80-97 anos de idade). Os pesquisadores compararam a respiração mitocondrial e a quantidade de danos no DNA nas mitocôndrias dos dois grupos. Enquanto o grupo idoso tinha reduzido a respiração, de acordo com a teoria atual, não houve diferença na quantidade de danos no DNA entre os grupos de idosos e jovens. Isso sugere que uma outra forma de regulação genética (a regulação epigenética) pode ser responsável ​​pelos efeitos do envelhecimento.
A regulação epigenética se refere a alterações de estruturas químicas e proteínas que alteram a estrutura física do DNA. Ao contrário de mutações, estas mudanças não afetam a própria sequência de DNA. Se essa teoria estiver correta, então é possível reprogramar geneticamente as células para um estado de células estaminais embrionárias.
Para testar esta teoria, os investigadores reprogramado linhas celulares derivadas de fibroblastos humanos de jovens e idosos para um estado semelhante a célula estaminal embrionária. Incrivelmente, os defeitos associados à idade tinham sido revertidos - todos os fibroblastos (de jovens e idosos) tinham taxas de respiração comparáveis ​​aos da linha celular de fibroblastos fetais. Isto indica que o processo de envelhecimento na mitocôndria é controlada por regulação epigenética, não por mutações.
Os pesquisadores buscaram genes que podem ser controlados epigeneticamente resultando em esses defeitos mitocondriais associadas à idade. Dois genes que regulam a produção de glicina nas mitocôndrias, CGAT e SHMT2, foram encontrados. Segundo os pesquisadores, alterando a regulação destes genes, eles poderiam induzir defeitos ou restaurar a função mitocondrial nas linhas de células de fibroblastos.
Estes resultados revelam que, ao contrário da teoria mitocondrial do envelhecimento, a regulação epigenética controla defeitos associadas à idade em linhas de células de fibroblastos humanos. Os estudos ainda são muito escassos, mas é um grande início para a descoberta da fonte da juventude!
fonte: revista galileu

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Parabéns a Você


Um post de texto no  Facebook -  abaixo, obtido no  Ponto Chic explica a origem da música ‘Parabéns a você’, cantada em todos os aniversários aqui no Brasil .

Mas o interessante não é tanto a afirmação contida nesse texto, mas os comentários que suscitou. Por exemplo:
  • Há uma outra versão do rá-tim-bum. Seria uma onomatopeia, que representaria o som feito por uma bandinha de circo para chamar atenção da plateia. A caixa faz tarará, o prato faz tim e o bumbo faz bum. Imaginou aí? Com o tempo tiraram o tara e ficou só o rá. Essa parece mais crível que o tal Rajá...
  • E depois que alguém comeu um cogumelo, resolveu juntar tudo e inventar a segunda
  • E o concurso da Rádio Tupi em 1942, onde a Senhora Bertha Celeste Homem de Melo foi vencedora, quando concorreu com a versão da letra "Happy birthday to you" fica como?
  • Uma música tão idiota só poderia ter uma criação igualmente estúpida.
  • O mais engraçado é que aqui em Goiás eles cantam "é big, é big"!! Sempre achei esquisito!!!!
  • Que tristeza cantei errado todos esses anos.. É big é big...
  • E apenas no Maranhão canta-se o parabéns completo, com as duas estrofes. No resto do país apenas a primeira estrofe, repetida.
  • E eu ouvi historias de religiosos que dizem que "ra-tim-bum" seria uma maldição das bruxas, daí o nome do Castelo Ratinbum...
  • Agora até hoje não intendi o porque os cariocas falam: "É big, é big"... sempre falei que era pique mas discutiam comigo que pique não tem sentido... bom agora está explicadíssimo, os cariocas tão errados!
  • Sabia que o parabéns a você foi a letrinha que foi escolhida num concurso e uma professora venceu.

 Entretanto, de acordo com o registro histórico:
 A melodia de "Parabéns a Você" tem origem na canção "Good Morning to All" ("Bom dia a todos"), das irmãs e professoras norte-americanas Mildred J. Hill e Patty Hill em 1893, que resolveram compor uma canção para as crianças cantarem na entrada da escola. A melodia era acompanhada pela repetição do título quatro vezes. Isto ocorreu no ano de 1875.
As duas registraram a composição em 1893, até que em 1924 a composição foi publicada num livro de Robert Coleman, tendo conservado a melodia e alterado o verso para Happy Birthday to You" ("Feliz Aniversário a Você"), versão que rapidamente se popularizou. Em 1933 Jessica Hill, irmã das verdadeiras autoras, ingressou na justiça reivindicando os direitos autorais, saindo vitoriosa.
A música chegou ao Brasil ainda cantada em inglês. Almirante, da Rádio Tupi do Rio de Janeiro, organizou em 1942 um concurso para escolher uma letra que casasse com a melodia de "Happy Birthday To You". Dentre cerca de 5 mil participantes, a vencedora escolhida pelo júri composto por imortais da Academia Brasileira de Letras foi Bertha Celeste Homem de Mello, paulista de Pindamonhangaba . Bertha, até a morte, em 1999, fazia questão[carece de fontes] de que as pessoas cantassem a letra do jeito que ela escreveu, como no excerto abaixo:

Parabéns a você,
nesta data querida,
muita(s) felicidade(s),
muitos anos de vida

Hoje é dia de festa
cantam as nossas almas
para o(a) menino(a) [Nome]
uma salva de palmas!

Em alguns locais pode ser adicionalmente cantado:
Hoje o/a <nome> faz <idade> anos
Porque Deus assim quis
O que mais desejamos
É que seja feliz!

Ou (no Maranhão):
Hoje é dia de festa
Pra alegrar nossas almas
O <nome> faz anos
Uma salva de palmas!

Ou (no Rio Grande do Sul)
Parabéns, parabéns
Saúde e felicidade
Que tu colhas sempre todo dia
Paz e alegria na lavoura da amizade

Ou ainda:

O(a) <nome> faz anos,
O azar é só dele(a),
Cada ano que passa,
Ele(a) fica mais velho(a).

Atualmente, e em algumas regiões do Brasil, a canção se estende como abaixo utilizando a melodia da "Marcha Nupcial" de Richard Wagner. 
Com quem será?
Com quem será?
Com quem será que o(a) <nome> vai casar?
<nome do pretendente>

Vai depender
Vai depender
Vai depender se o <nome> vai querer
Vai, vai, vai!
No Brasil é costume declarar o seguinte bordão após cantar esta música ao aniversariante:
É pique, é pique. É pique, é pique, é pique! É hora, é hora. É hora, é hora, é hora! Rá-tim-bum!

 A princípio, o bordão era utilizado pela artista infanto-juvenil Xuxa Meneghel em sua música "Parabéns da Xuxa" - do álbum "Xou da Xuxa" -, lançado em 1986. A versão, a qual era cantada em seu programa televisivo matinal quase que diariamente na principal rede de televisão do país, ajudou a disseminá-la no Brasil inteiro.


Uma das possíveis origens para este bordão é o ambiente acadêmico da Faculdade de Direito do Largo São Francisco, cujos estudantes eram convidados[carece de fontes] para festas de aniversário e utilizavam os seus bordões de costume para animá-las. O bordão é uma colagem de diversos outros bordões usados pelos estudantes, como pic-pic referindo-se a um dos estudantes que mantinha consigo uma tesoura para aparar a barba e o bigode, e rá-tim-bum que teria se originado do nome Timbum de um rajá indiano que teria visitado a faculdade.  E aí, voltamos ao post citado no início...

"Independentemente da nossa origem, dos nossos talentos naturais, do nosso poder e riqueza,  somos definidos, principalmente,  pelas nossas histórias."

(JA, Jul15)

Comer peixes e vegetais aumenta expectativa de vida

Um estudo mostrou que idosos que comem grandes quantidades destes alimentos vivem cerca de 15 anos a mais do que aqueles que não consomem

Os idosos que apresentaram níveis mais altos de gorduras poli-insaturadas, provenientes de peixes e vegetais, foram significativamente menos propensos a morrer de doenças cardíacas ou qualquer outra causa, em comparação com aqueles com níveis mais baixos(Thinkstock/VEJA)

Idosos que consomem maior quantidade de peixes e vegetais vivem cerca de 15 anos mais do que aqueles que comem poucas quantidades desse tipo de alimento. É o que diz um estudo publicado recentemente na revista científica Circulation.
Uma pesquisa realizada na Suécia mostrou que os idosos com níveis mais altos de gorduras poli-insaturadas, provenientes de peixes e vegetais, no sangue, eram significativamente menos propensos a morrer de doença cardíaca ou qualquer outra causa do que aqueles com níveis mais baixos.
"O estudo apoia as atuais orientações alimentares que aconselham a ingestão de peixes e óleos vegetais para manter uma dieta saudável para o coração", disse Ulf Riserus,principal autor do estudo e pesquisador da Universidade de Uppsala, na Suécia.
As orientações alimentares atuais recomendam que a ingestão de gorduras corresponda a, no máximo, 20% a 35% das calorias diária de uma pessoa. Sendo que a maior parte destas deve vir de gorduras boas, como as poli-insaturadas e monoinsaturadas, que promovem níveis saudáveis de colesterol.
Estas gorduras são encontradas principalmente em peixes como salmão, truta e arenque, e em produtos vegetais como abacate, azeitonas, nozes e nos óleos de soja, milho, cártamo, canola, azeitona e girassol.
No estudo, Riserus e seus colegas testaram diferentes níveis, de vários tipos de gorduras em 2 193 mulheres e 2 039 homens. Em seguida, eles acompanharam os participantes por, pelo menos, 14 anos.
Durante este período, 265 homens e 191 mulheres morreram e outros 294 homens e 190 mulheres tiveram algum evento cardiovascular, como um ataque cardíaco.
Os resultados dos exames de sangue dos participantes mostraram que maiores níveis de dois ácidos graxos encontrados nos peixes - EPA e DHA, tipos de ômega 3 - foram associados com uma redução de 20% no risco de morte. Já maiores níveis de ácido linoleico, encontrado nos óleos vegetais, estava ligado a uma redução de 27% no risco de morte nos homens, mas não nas mulheres.

terça-feira, 30 de junho de 2015

Ivone Boechat - "Para quem tem mais de 65 anos"

1 - Tome posse da maturidade. A longevidade é uma bênção! Comemore! Ser maduro é um privilégio; é a última etapa da sua vida e se você acha que não soube viver as outras, não perca tempo, viva muito bem esta. Não fique falando toda hora: “estou velho”. Velho é coisa enguiçada. Idade não é pretexto para ninguém ficar velho. Engane a você mesmo sobre a sua idade, porque os psicólogos dizem que se vive de acordo com a idade declarada!
2 - Perdoe a você antes de perdoar os outros. Se você falhou, pediu perdão? Deus já o perdoou e não se lembra mais. Mas você fica remoendo o passado... Não se importe com o julgamento dos outros. Só há dois times no Universo: o do Salvador e o do acusador.  Neste último você sabe quem é goleiro. Continue no time do Salvador.
3 - Viva com inteligência todo o seu  tempo. Viva a sua vida, não a do seu marido, dos filhos, dos netos, dos parentes, dos vizinhos... Nem viva só pra eles, viva pra você também. Isto se chama amor próprio, aquilo que você sacrificou sempre! Nunca viva em função dos outros. Faça o seu projeto de vida!
4 - Coma muito menos; durma o suficiente; não fique o dia inteiro, dormindo, dando desculpa de velhice. Tenha disciplina. Fale com muita sabedoria. Discipline sua voz: nem metálica, nem baixinha; seja agradável!
5 - Poupe seus familiares e amigos das memórias do passado. Valorize o que foi bom. Experiências caóticas, traumas, fobias, neuroses, devem ser tratadas com o psicoterapeuta. Não transforme poltrona em divã, ouvido em descarga.
6 - Não aborreça ninguém com o relatório das suas viagens. Elas são interessantes só pra quem viaja. Ninguém aguenta ouvir os relatórios e ver fotografias horas e horas. Comente apenas o destino e a duração da viagem, se alguém perguntar. Aprenda a fazer uma síntese de tudo, a não ser que seus amigos peçam mais detalhes. Se alguém perguntar mais alguma coisa, seja breve.
7 - Escolha bons médicos. Não se automedique. Não há nada mais irritante do que um idoso metido a receitar remédio pra tudo o que o outro sente. Faça uma faxina na sua farmácia doméstica.
8 - Não arrisque cirurgias plásticas rejuvenescedoras. Elas têm prazo curto de duração. A chance de você ficar mais feio é altíssima e a de ficar mais jovem é fugaz. Faça exercícios faciais. Socorra os músculos da sua face. Tome no mínimo oito copos de água por dia e o sol da manhã é indispensável. O crime não compensa, mas o creme compensa!
9 - Use seu dinheiro com critério. Gaste em coisas importantes e evite economizar tanto com você. Tudo o que se economizar com você será para quem? No dia em que você morrer, vai ser uma feira de Caruaru na sua casa. Vão carregar tudo. Não darão valor a nada daquilo que você valorizou tanto: enfeites, penduricalhos, livros antigos, roupas usadas, bijuterias cafonas, ouro velho... prataria preta, troféus encardidos, placas de homenagens. Por que não doar as roupas, abrir um brechó ou vender todas as suas bugigangas, apurar um bom dinheiro e viajar?
10 - A maturidade não lhe dá o direito de ser mal educado. Nada de encher o prato na casa dos outros ou no self-service(com os outros pagando); falar de boca cheia, ou palitar os dentes na mesa de refeições (insuportável).
 
11 - Só masque chiclete sem testemunhas. Não corra o risco de acharem que você já está ruminando ou falando sozinho.
12 - Aposentadoria não significa ociosidade. Você deve arranjar alguma ocupação interessante e que lhe dê prazer. Trabalhar traz muitas vantagens para a saúde mental, além do dinheiro extra para gastar, também com você.
13 - Cuidado com a nostalgia e o otimismo. Pessoas amargas e tristes são chatíssimas, as alegres demais, também. Elogie os amigos, não fique exigindo explicações de tudo. Amigo é amigo.
14 - Leia. Ainda há tempo para gostar de aprender. A maturidade pode lhe trazer sabedoria. Coloque-se no grupo sempre pronto para aprender. Não se apresente em lugar nenhum dizendo: sou muito experiente!
15 - Não acredite nas pessoas que dizem que não tem nada demais o idoso usar roupas de jovens, cuidado. Vista-se bem, mas com discrição. Cuidado com a maquiagem, se for pesada, você vai ficar horrível.
16 - Seja avó do seus netos, não a mãe nem a babá. Por isso nem pense em educá-los ou comprometer todo o seu tempo com as tarefas chatas de ir buscar na escola, levar a festinhas, natação, inglês, vôlei... Só nas emergências. Cuidado com aquela disponibilidade que torna os outros irresponsáveis.
17 - Se alguém perguntar como vão seus netos, não precisa contar tuuuuuuuudo! Evite discorrer sobre a beleza rara e a inteligência excepcional deles. Cuidado com a idolatria de neto e o abandono dos filhos casados...
18 - Não seja uma sogra chata. Nunca peça relatório de nada. Seu filho tem a família dele. Você agora é parente! Nunca, nunca, nunca mesmo, visite seus filhos sem que seja convidado. Se o filho ligar pra você, não diga: ah! lembrou finalmente da sua mãe? É melhor dizer: Deus o abençoe meu filho.
19 - Cuidado em atender ao telefone: se a pessoa perguntar como você vai e você responder  “estou levando a vidacomo Deus quer”; “a vida é dura”; “estou preparando a partida”; “estou vencendo a dureza”; você vai ver que as ligações dos amigos e dos parentes vão rarear, cada vez mais.
20 - A maturidade é o auge da vida, porque você tem idade, juízo, experiência, tempo e capacidade para se relacionar melhor com as pessoas. Então delete do seu computador mental o vírus da inveja, do orgulho, da vaidade, promiscuidades, cobranças, coisas pequenas e frustrantes para tomar posse de tudo o que você sempre sonhou: a felicidade.

Extraído do livro Educação-a força mágica de Ivone Boechat

segunda-feira, 29 de junho de 2015

Alzheimer pode ter início 18 anos antes dos primeiros sintomas


A partir de avaliações simples, pesquisadores da Universidade Rush, nos Estados Unidos, mostraram que os participantes já apresentavam sinais de declínio cognitivo quase duas décadas antes do diagnóstico da doença


O estudo mostrou que testes não-invasivos e de fácil aplicação
podem ser utilizados para avaliar os riscos das pessoas de
meia-idade desenvolverem a demência dando um período
maior para tentar retardar os efeitos mais debilitantes da doença
(Stockbyte/Thinkstock/VEJA)



O desenvolvimento do Alzheimer pode começar 18 anos antes do aparecimento dos primeiros sintomas da doença e, consequentemente, do diagnóstico. É o que mostra um novo levantamento publicado na última edição da revista científica Neurology. Até agora, os estudos haviam mostrado que os processos biológicos que causam o transtorno começavam entre 10 e 12 anos antes de os doentes notarem os primeiros sinais do declínio cognitivo.
Para o estudo, os pesquisadores da Universidade Rush, nos Estados Unidos, acompanharam 2 125 idosos durante duas décadas. Os voluntários eram saudáveis e tinham, no mínimo, 65 anos. A cada três anos, os participantes eram submetidos a testes para avaliar a função cognitiva.
Ao final do estudo, 21% dos participantes tinham sido diagnosticados com a doença. Ao olharem para os resultados das avaliações, os pesquisadores perceberam que aqueles que receberam o diagnóstico sempre apresentaram pontuações mais baixas durante todo o estudo. Na verdade, a pontuação diminuiu de forma progressiva em cada teste. Segundo a conclusão do estudo, para cada ponto a menos, o risco de desenvolver Alzheimer aumentava 85%.
Os autores alertam, contudo, que os resultados só servem para o grupo estudado e ainda não podem ser utilizados para prever o risco de um indivíduo desenvolver a doença. A pesquisa aponta para novas abordagens como a utilização de testes não-invasivos e de fácil aplicação para avaliar os riscos das pessoas de meia-idade desenvolverem a demência.
Estima-se que 35 milhões de pessoas têm Alzheimer no mundo. No Brasil, são 1,2 milhão de casos, a maior parte deles ainda sem diagnóstico, segundo a Associação Brasileira de Alzheimer.

domingo, 28 de junho de 2015

Mensagem a Garcia

Escrito por Elbert Hubbard – fevereiro de 1899
Em todo este caso cubano, um homem se destaca no horizonte de minha memória. Quando irrompeu a guerra entre a Espanha e os Estados Unidos, o que importava aos americanos era comunicar-se, rapidamente, com o chefe dos revoltosos – chamado Garcia - que se encontrava em uma fortaleza desconhecida, no interior do sertão cubano. Era impossível um entendimento com ele pelo correio ou pelo telégrafo. No entanto, o Presidente precisava de sua colaboração, e isso o quanto antes. Que fazer? Alguém lembrou: "Há um homem chamado Rowan... e se alguma pessoa é capaz de encontrar Garcia, esta pessoa é Rowan”.
Rowan foi trazido à presença do Presidente, que lhe confiou uma carta com a incumbência de entregá-la a Garcia. Não vêm ao caso narrar aqui como esse homem tomou a carta, guardou-a num invólucro impermeável, amarrou a ao peito e, após quatro dias, saltou de um pequeno barco, alta noite, nas costas de Cuba; ou como se embrenhou no sertão para, depois de três semanas, surgir do outro lado da ilha, tendo atravessado a pé um país hostil, e entregue a carta a Garcia. O ponto que desejo frisar é este: Mac Kinley deu a Rowan uma carta destinada a Garcia; Rowan tomou-a e nem sequer perguntou: "Onde é que ele está?”.
Eis aí um homem cujo busto merecia ser fundido em bronze e sua estátua colocada em cada escola. Não é só de sabedoria que a juventude precisa... Nem de instruções sobre isto ou aquilo.
Precisa, sim, de um endurecimento das vértebras para poder mostrar-se altiva no exercício de um cargo; para atuar com diligência; para dar conta do recado; para, em suma, levar uma mensagem a Garcia. O General Garcia já não é deste mundo, mas há outros Garcias. A nenhum homem que se tenha empenhado em levar adiante uma tarefa em que a ajuda de muitos se torne precisa tem sido poupados momentos de verdadeiro desespero ante a passividade de grande número de pessoas ante a inabilidade ou falta de disposição de concentrar a mente numa determinada tarefa... e fazê-la. A regra geral é: assistência regular, desatenção tola, indiferença irritante e trabalho malfeito.
Ninguém pode ser verdadeiramente bem-sucedido, exceto se lançar mão de todos os meios ao seu alcance, para obrigar outras pessoas a ajudá-lo, a não ser que Deus Onipot ente, na sua grande misericórdia, faça um milagre enviando-lhe, como auxiliar, um anjo de luz. Leitor amigo, tu mesmo podes tirar a prova. Está sentado no teu escritório, rodeado de meia dúzia de empregados. Pois bem, chama um deles e pede-lhe: "Queria ter a bondade de consultar a enciclopédia e de fazer a descrição resumida da vida de Corrégio".
Dar-se-á o caso de o empregado dizer, calmamente: - "Sim, senhor" e executar o que lhe pediste?
Nada disso! Olhar-te-á admirado para fazer uma ou algumas das seguintes perguntas:
- Quem é Corrégio?
- Que enciclopédia?
- Onde está a enciclopédia?
- Fui contratado para fazer isso?
- E se Carlos o fizesse?
- Esse sujeito já morreu?
- Precisa disso com urgência?
- Não seria melhor eu trazer o livro para o Senhor procurar?
- Para que quer saber isso?
Eu aposto dez contra um que, depois de haveres respondido a tais perguntas e explicado a maneira de procurar os dados pedidos, e a razão por que deles precisas, teu empregado irá pedir a um companheiro que o ajude a encontrar Corrégio e depois voltará para te dizer que tal homem nunca existiu. Evidentemente pode ser que eu perca a aposta, mas, seguindo uma regra geral, jogo na certa. Ora, se fores prudente, não te darás ao trabalho de explicar ao teu "ajudante" que Corrégio se escreve com "C" e não com "K", mas limitar-te-á a dizer calmamente, esboçando o melhor sorriso: - "Não faz mal... não se incomode". É essa dificuldade de atuar independentemente, essa fraqueza de vontade, essa falta de disposição de, solicitamente, se por em campo e agir, é isso o que impede o avanço da humanidade, fazendo-o recuar para um futuro bastante remoto. Se os homens não tomam a iniciativa de agir em seu próprio proveito, que farão se o resultado de seu esforço resultar em benefício de todos? Por enquanto parece que os homens ainda precisam ser dirigidos.
O que mantém muitos empregados no seu posto e o faz trabalhar é o medo de, se não o fizer, ser despedido ou transferido no fim do mês. Anuncia-se precisar de um taquígrafo e nove entre dez candidatos à vaga não saberão ortografar nem pontuar, e - o que é pior - pensa não ser necessário sabê-lo.
– "Olhe aquele funcionário - dizia o chefe de uma grande fábrica. É um excelente funcionário.
Contudo, se eu lhe perguntasse por que seu trabalho é necessário ou por que é feito dessa maneira e não de outra, ele seria incapaz de me responder. Nunca deve ter pensado nisso.
Faz apenas aquilo que lhe ensinaram, há mais de 3 anos, e nem um pouco a mais".
"Será possível confiar-se a tal homem uma carta para entregá-la a Garcia?”.
Conheço um homem de aptidões realmente brilhantes, mas sem a fibra necessária para dirigir um negócio próprio e que ainda se torna completamente nulo para qualquer outra pessoa devido à suspeita que constantemente abriga de que seu patrão o esteja oprimindo ou tencione oprimi-lo. Sem poder mandar, não tolera que alguém o mande. Se lhe fosse confiada a mensagem a Garcia retrucaria, provavelmente:
- "Leve-a você mesmo!". Hoje esse homem perambula errante, pelas ruas em busca de trabalho, em estado quase de miséria. No entanto, ninguém se aventura a dar-lhe trabalho porque é uma personificação do descontentamento e do espírito da discórdia. Não aceitando qualquer conselho ou advertência, a única coisa capaz de nele produzir algum efeito seria um bom pontapé dado com a ponta de uma bota 44, sola grossa e bico largo.
Pautemos nossa conduta por aqueles homens, dirigente ou dirigida, que realmente se esforçam por realizar o seu trabalho. Aqueles cujos cabelos ficam mais cedo envelhecidos na incessante luta que estão desempenhando contra a indiferença e a ingratidão, justamente daqueles que, sem o seu espírito empreendedor, andariam famintos e sem lar.
Estarei pintando o quadro com cores por demais escuras?
Não há excelência na nobreza de si mesmo; farrapos não servem de recomendação. Nem todos os ricos são gananciosos e tiranos, da mesma forma que nem todos os pobres são virtuosos.
Todas as minhas simpatias pertencem ao homem que trabalha, fazendo o que deve ser feito, melhorando o que pode ser melhorado, ajudando sem exigir ajuda. É o homem que, ao lhe ser confiada uma carta para Garcia, toma a missiva e, sem a intenção de jogá-la na primeira sarjeta, entrega-a ao destinatário. Esse homem nunca ficará "encostado", nem pedirá que lhe façam favores.
A civilização busca ansiosamente, insistentemente, homens nessa condição. Tudo que tal homem pedir, se lhe há de conceder. Precisa-se dele em cada vila, em cada lugarejo, em cada escritório, em cada oficina, em cada loja, fábrica ou venda. O grito do mundo inteiro praticamente se resume nisso:
“PRECISA-SE - E PRECISA-SE COM URGÊNCIA - DE UM HOMEM CAPAZ DE LEVAR UMA

sábado, 27 de junho de 2015

50 Mais CBN - Militância não tem idade

O humorista Marcelo Madureira afirma que a vida política é dever de todo cidadão. 'As pessoas não se sentem obrigadas a viver a vida comunitária. A culpa é sempre dos outros'.


sexta-feira, 26 de junho de 2015

A garota e as maçãs

Uma garota segurava em suas mãos duas maçãs. Sua mãe entrou e lhe pediu com uma voz doce e um belo sorriso: " Querida, você poderia dar uma de suas maçãs para mamãe?"
A menina levanta os olhos para sua mãe durante alguns segundos, e morde subitamente uma das maçãs e logo em seguida a outra. A mãe sente seu rosto se esfriar e perde o sorriso. Ela tenta não mostrar sua decepção quando sua filha lhe dá uma de suas maçãs mordidas. A pequena olha sua mãe com um sorriso de anjo e diz: " É essa a mais doce."
Pouco importa quem você é, que você tenha experiência, seja competente ou sábio. Retarde sempre o seu julgamento. Dê aos outros o privilégio de poder se explicar .
Mesmo se a ação parece errada, o motivo pode ser bom.

sábado, 20 de junho de 2015

50 Mais CBN - Perfil das doenças mudou completamente nos últimos 30 anos

A médica Cláudia Burlá, especialista em geriatria com certificado de atuação na área de medicina paliativa, afirma que enfermidades que matavam precocemente saíram de uma fase aguda e se transformaram em problemas crônicos.

Ela afirma que o envelhecimento da população fez com que as pessoas se vissem obrigadas a conviver com limitações e sequelas, e apresenta o dado de que menos de 10% de todas as mortes ocorrem subitamente. A maior parte delas acontece de forma lenta e progressiva.



sábado, 13 de junho de 2015

50 Mais CBN - Cidades precisam otimizar oportunidades para um envelhecimento mais ativo

Para Marília Louvison, professora doutora da Faculdade de Saúde Pública da USP e presidente da Associação Paulista de Saúde Pública, com as cidades pouco acolhedoras, toque de recolher chega mais cedo para idosos.


sábado, 6 de junho de 2015

sábado, 30 de maio de 2015

50 Mais CBN - A experiência nos torna mais capazes

A jornalista, escritora e comentarista da CBN Miriam Leitão lembra as dificuldades que encontrou ao longo da vida e avalia como a superação a deixou mais forte.


sábado, 23 de maio de 2015

50 Mais CBN - Cair de maduro é só para frutas

Segundo Mônica Perracini, especialista em prevenção de quedas, 30% das pessoas com mais de 60 anos caem ao menos uma vez por ano.


sábado, 16 de maio de 2015

quinta-feira, 14 de maio de 2015

Envelhecer em tempos de PEC

"Eu era menino quando, no Campo Santa Margherita, meu pai me apontou a casa de Sebastiano Venier, que foi "capitão do mar" (almirante) da frota veneziana vitoriosa na batalha de Lepanto, contra os otomanos, em 1571.
Venier, na época da batalha, tinha 75 anos. Seu braço cansava ao retesar a balestra, e um ajudante se encarregava disso por ele.
Ele lutava de pantufas e dizia que era porque elas não escorregavam na ponte do navio, molhada de água e sangue, mas era por causa dos calos que o impediam de usar botas. Fora isso, ficou o tempo todo plantado na ponte de seu navio, o Capitana.
Já a história de Enrico Dandolo me foi contada diante de quatro homens que subiam a escada da Ponte della Veneta Marina, em Veneza, carregando um ancião numa cadeira.
Talvez meu pai imaginasse que eu menosprezava o inválido; por isso, me contou que Dandolo, em 1204, aos 96 anos, doge de Veneza, foi reconquistar Constantinopla: aos gritos, da ponte de sua galera, pedia que os soldados o levassem logo à terra, na hora do ataque.
Cresci numa época em que a morte era temida, a finitude da vida incomodava a todos, mas ser velho era um valor; a esperança e o dever dos jovens era envelhecer, sem demora.
Assisti a uma mudança cultural tremenda e rápida. Quando cheguei aos 12 ou 13 anos, os adolescentes, recém-inventados, já estavam se tornando objeto da inveja de todos, e os velhos (previamente objetos de admiração) começavam a aparecer como um fardo.
A desculpa era econômica: haverá aposentados demais, que adoecerão, pedindo cuidados custosos. Mas, provavelmente, a verdade é que o medo de morrer nos leva até a negar nossa própria velhice iminente: desprezamos os "parasitas" que seremos.
No entanto, quem disse que os velhos são "parasitas" desprovidos de utilidade social?
Recentemente, a PEC da Bengala modificou a aposentadoria compulsória dos membros de tribunais superiores para 75 anos. O editorial da Folha de 8 de maio pedia que a medida fosse coo extensiva a todo o funcionalismo público.
Pode ser que a PEC surja, hoje, como uma manobra política para postergar nomeações de ministros do STF até as próximas presidenciais. Por que renunciaríamos ao patrimônio de experiência dos velhos?
No começo do século passado, a psicologia distinguiu dois fatores de inteligência. Embora discutida, a distinção permanece: grosso modo, a inteligência fluida é a capacidade de se adaptar a situações novas de forma rápida e flexível.
A inteligência cristalizada é construída pelo aprendizado do indivíduo e é uma espécie de sabedoria: permite compreender realidades complexas, estabelecer relações não intuitivas, avaliar e julgar situações contraditórias.
Em 2009, A. Kramer e A. Nunes publicaram uma pesquisa, no "Journal of Experimental Psychology" (http://migre.me/pPIx4), comparando os controladores de tráfego aéreo dos Estados Unidos (que têm aposentadoria compulsória aos 56 anos) com os do Canadá (que só se aposentam aos 64). Eles chegaram à conclusão que a aposentadoria compulsória dos americanos era um desperdício.
Em testes genéricos, os controladores mais velhos eram mais lentos, mas, em testes de decisões ligadas ao tráfego aéreo, sua experiência compensava qualquer perda cognitiva da idade.
Outro exemplo: em 2010, Igor Grossmann e outros publicaram uma pesquisa nos "Proceedings of the National Academy of Science" dos EUA (http://migre.me/pPIZC), mostrando que existem aspectos do pensamento que melhoram com a velhice.
 A jovens e velhos, eles apresentaram uma série de histórias ou dilemas que tinham a ver com conflitos entre indivíduos ou entre grupos. E pediram soluções e comentários.
Foi constatado que, em comparação aos jovens ou às pessoas de meia idade, os idosos usam raciocínios mais complexos e enxergam melhor a necessidade de perspectivas múltiplas e de compromissos.
Conclusão: 'É recomendável que pessoas mais velhas ocupem funções sociais cruciais, que incluem decisões legais, aconselhamento e negociações entre grupos'.
O campo de pesquisa sobre os efeitos positivos do envelhecimento está aberto.”Contardo Calligaris
________
O livro de Anne Karpf, "Como Envelhecer" (ed. Objetiva, série 'The School of Life', R$ 26,90, 192 pgs.) é ótimo e um excelente companheiro para quem está afim de envelhecer e de pensar sobre nossa mudança cultural diante da velhice. Agora, a editora deveria imprimir com fontes mais clementes com a hipermetropia de quem envelhece.
_________ 


(JA, Mai15)